Blog

Dicas para escolher uma plataforma de inteligência

By REDAÇÃO DOXXA | 29 abril 2019

Os dados são nossos parceiros de negócio e essa já é uma realidade instalada no mercado atual. Há algum tempo, as pessoas, empresas e profissionais de diferentes áreas comentam sobre como as informações geradas tanto no ambiente online quanto no offline estão servindo para compor estratégias e mudar verdadeiramente o rumo de ações e campanhas. E como você já deve ter percebido: estou falando de uma nova era, a era das plataformas de inteligência de dados.

Segundo o Gartner, 2,2 milhões de terabytes de novos dados são criados todos os dias, e a expectativa é que, até 2020, exista um total de 40 trilhões de gigabytes de dados espalhados pelo mundo. Isso quer dizer que, em pouco tempo, tudo o que conhecemos de informação será apenas uma ponta (muito pequena) do iceberg conhecido como Big Data. A tendência é que a quantidade de dados gerados nos próximos anos seja tão grande que parecerá impossível mensurá-la e, para as empresas, fazer leituras deste cenário se torna imprescindível.

Como podemos perceber, não é mais possível ficar alheio ao universo dos dados. Com competidores cada dia mais engajados em acirrar a disputa por um espaço no mercado, mais do que mostrar para o mundo o que se faz de melhor – oferecer bons produtos e encontrar boas estratégias para vendê-los mais e mais -, é preciso estar à frente nesta corrida por sucesso. Hoje, não basta fazer apenas o “básico” – oferecer soluções qualificadas e alinhadas com as ofertas do mercado -, mas realmente buscar a dor do cliente, resolvendo seus problemas de maneira muito ágil, quase que imediata.

Quando acessamos um e-commerce para a compra de um produto, é provável que já tenhamos encontrado a mesma oferta em outras lojas muito parecidas. Ao jogar em um buscador, como o Google, o modelo do celular que se deseja adquirir é possível que diversas promoções sejam apresentadas logo na primeira página com preços muito parecidos. E em uma situação como essa, como ser um fornecedor diferenciado para o consumidor?

Muitas organizações têm entendido o potencial dos dados para auxiliar nas suas estratégias. O grande problema é que esse insight tem acontecido tardiamente, em sua maioria quando a empresa percebe a necessidade de fazer diferente porque viu o concorrente entregando algo inovador para o público e provocando um buzz enorme no mercado.

Para reverter esse cenário, é importante não somente contar com equipes muito preparadas para apoiar novas decisões, que auxiliam neste processo de promover mudanças necessárias dentro da empresa, mas com os recursos certos. Gosto de dizer que para alcançar bons resultados é preciso encarar a tecnologia como uma facilitador. E por que não contar com uma plataforma de inteligência de dados para ajudar a sua empresa a vencer no mercado competitivo?

Toda companhia, hoje, deve voltar o seu olhar para atender aos desejos e as necessidades do consumidor antes mesmo que ele saiba quais são elas. Ou seja, precisa antecipar seus passos, antever problemas e construir soluções para os mesmos, mas isso só é palpável quando se tem fortes aliados, como dados e informações preciosas dos consumidores em mãos.

Pensando em ajudar você nessa jornada, separei algumas dicas para auxiliar na escolha de uma ferramenta de inteligência que atenda tanto os seus desejos – entre eles, conhecer a fundo o comportamento de todos aqueles que podem ter interesse pela sua marca – quanto os dos leads, que poderão contar com um fornecedor que oferece mais do que bons produtos, mas ótimas experiências. Confira, a seguir:

 

1. Captura de dados eficiente

Gosto de dar início a essa conversa lembrando que as plataformas de inteligência de dados são ambientes que reúnem enormes quantidades de informações de diferentes bases públicas, mídias sociais, etc., e que precisam ser eficientes para cruzamentos e análises de conteúdo complexos. Por isso, esses devem ter uma capacidade robusta de captura de dados.

O objetivo é que, além das grandes coletas de dados, as informações capturadas sejam eficientes do ponto de vista estratégico. Que sirvam para identificar comportamentos e conhecer os perfis dos consumidores por meio de cruzamento de dados usando ferramentas como o Analytics de forma inteligente – como é o caso do Netflix com a oferta de conteúdos personalizados para cada usuário, só para citar um exemplo. A ideia é que os dados coletados não tenham caráter disperso, mas sirvam como base para melhores tomadas de decisão.

Sendo assim, no momento de decidir qual plataforma de inteligência de dados é mais adequada para o sucesso do seu negócio esteja atento ao seu potencial de coleta. Para reunir dados relevantes e transformar informações em soluções que geram resultados positivos para a empresa, é preciso contar com uma ferramenta que prioriza fatores como: usabilidade, praticidade, organização e que também está pronta para as grandes análises de dados.

 

2. Gestão de dados inteligente

Além do auxílio na coleta de informações significativas para a empresa, uma plataforma de dados tem como proposta aumentar a sua capacidade de gestão. Muito mais do que um sistema operacional, ela é parte estratégica de uma organização.

Com uma solução que faz uma leitura de dados complexa existem mil maneiras de melhorar os resultados de negócio. Em vez de despender tempo fazendo uma coleta e seleção enorme de informações, você já tem os dados mais interessantes distribuídos em dashboards e relatórios, basta fazer a leitura dos mesmos.

A tecnologia, portanto, facilita muito o trabalho de controle sobre o que está servindo de insumo para as estratégias da empresa. O gerenciamento das informações – uma prática fundamental quando se lida com dados – deixa de ser uma tarefa morosa e passa a funcionar como um meio muito eficiente para geração de insights. E a organização como um todo é beneficiada pela praticidade na hora de fazer a gestão dos dados.

As próprias equipes de inteligência têm acesso a informações mais valiosas e, em menos tempo, conseguem detectar diferentes cenários de negócio, oportunidades e também soluções para problemas. O aprendizado acaba sendo constante, os acertos e erros servindo para motivar os times a fazer “diferente” ou “melhor”, lembrando que uma gestão de dados eficiente faz toda diferença quando se quer gerar esses aprendizados.

 

3. Visualização facilitada

Outro fator que deve ser levado em consideração quando está em pauta a escolha de boas plataformas de inteligência é optar por aquelas ferramentas totalmente visuais. O que quero dizer com isso? Que além de facilitar a sua tarefa de gestão, os dados precisam ser apresentados de maneira que todos da empresa tenham acesso prático a informação, desde as pessoas de negócio até os profissionais que lidam diariamente com inteligência.

Uma boa plataforma deve ser muito visual, ou seja, é aquela que facilita a leitura de dados. Que é funcional ao ponto de permitir avaliações rápidas de cenários para reverter problemas pontuais, como mudar uma campanha de marketing com o objetivo de aumentar as conversões em leads. E que leva aos times de inteligência a praticidade dos dashboards para uma análise de dados estratégica.

 

4. Análise estratégica

Uma plataforma de inteligência de dados muito completa permite que a empresa se diferencie das outras no mercado e isso está totalmente relacionado ao seu poder de análise. Para que a empresa ganhe destaque entre seus concorrentes diretos e também indiretos, é importante que ela tenha potencial analítico e encontre facilmente respostas para seus planos, ações e estratégias em dados muito valiosos.

De nada adianta fazer grandes buscas por informações quando não se sabe exatamente como classificá-las. “Será que são realmente importantes para os meus planejamentos?”. Porém, com o auxílio de boas plataformas é possível diminuir o risco das avaliações apressadas de cenário. Todo e qualquer levantamento feito pela sua empresa será fundamentado em dados muito estratégicos, pois a própria solução funciona de maneira inteligente, oferecendo relatórios comparativos, simplificando o trabalho de análise.

Com isso, a produtividade das equipes acaba aumentando e insights diferenciados surgem para melhorar os negócios da empresa. O tempo de retrabalho é reduzido, assim como os custos, e gestores e líderes passam a desempenhar funções ainda mais estratégicas, mudando positivamente a realidade das empresas, agora muito mais inteligentes.

Acompanhando os resultados da segunda edição do estudo “Índice de Inteligência Empresarial”, realizado pela Zebra Technologies Corp., percebi que o número de empresas enquadradas na categoria “inteligente” dobrou em 2018 em relação ao ano passado. O que diz que elas estão aproximando cada vez mais o mundo físico com o digital, impulsionando suas ações por meio de tecnologia e plataformas inteligentes.

Este artigo foi escrito por Eduardo Prange, CEO da Zeeng – Data Driven Platform, originalmente publicado no blog da Zeeng.

 

Sobre o autor

REDAÇÃO DOXXA

Posts relacionados

22 abril 2019

4 itens fundamentais no Marketing de Conteúdo

By CAMILA FREITAS | 22 abril 2019

Você conhece seu público e tem um planejamento: agora, é hora de partir para a prática, com auxílio de conteúdo inteligente ...

Leia mais
17 abril 2019

A importância do conteúdo inteligente para converter leads

By DUDA MIRALHA | 17 abril 2019

Depois de transformar os consumidores em leads, é chegada a hora de estar ainda mais atento para que este lead qualificado realmente vire um cliente. ...

Leia mais
14 março 2018

A Geração Z está deixando as mídias sociais

By REDAÇÃO DOXXA | 14 março 2018

Com sentimentos contraditórios sobre a vida online, 34% dos jovens americanos nascidos entre os anos 1990 e 2000 está deixando as mídias sociais. ...

Leia mais
Mensagem enviada com sucesso!