Blog

4 tendencias para o marketing digital em 2020

4 tendências para o marketing digital em 2020

By GABRIELA ESCOBAR | 3 fevereiro 2020

Quando a virada de ano se aproxima é hora de avaliarmos o que pode se tornar tendência para os próximos 12 meses no marketing digital. No ano passado, você já pôde conferir os assuntos que pautariam as produções de conteúdo e, tudo indica que, em 2020, o conteúdo audiovisual será, ainda, a principal forma de levar mensagens ao público. 

Da mesma forma, a personalização segue sendo fator importante para as estratégias de marketing, facilitando a aproximação com o público-alvo. Assim como a oferta de boas experiências, que colocam o cliente no centro das tomadas de decisões.Todas elas caminham em direção a criação de melhores ações e campanhas de marketing digital. 

Está curioso para conhecer em detalhes essas tendências? Então confira, a seguir, o que precisa estar no seu radar para ações de sucesso no próximo ano:

 

Podcasts

O formato é, sem dúvidas, o queridinho do momento. O boom dos podcasts em 2019 comprova que o conteúdo tem adesão do público. A produção dos 100 principais podcasts brasileiros cresceu 200 vezes desde 2005, de acordo com a pesquisa realizada pela agência Volt Data Lab. Somente neste ano, 55% dos internautas brasileiros escutaram pelo menos um podcast por mês, de acordo com uma pesquisa feita pelo Opinion Box.

 

De acordo com Javier Piñol, diretor do Spotify Studios na América Latina, a empresa estima que nos próximos anos, 20% de todo o consumo de áudio na plataforma será conteúdo não musical.

 

Além disso, os podcasts se alinham com as tendências de consumo de conteúdo digital. A primeira característica é a praticidade. Uma pesquisa do Ibope, realizada em maio de 2019, revelou que 75% dos entrevistados utilizam smartphones para consumir podcasts, ou seja, o formato está associado a mobilidade e praticidade, tornando o podcast um companheiro para as atividades do dia a dia, sem que seja necessário para absolutamente tudo que está sendo feito para apreciar o conteúdo.

O segundo fator é a busca de identificação com um conteúdo e o seu produtor. Quanto se pensa na pessoalidade dos podcasters, não é apenas o discurso que embasa essa ideia e sim a forma com que eles se relacionam com o público. Em alguns casos, há leituras de e-mails, outros fazem conteúdos específicos para assinantes, ou simplesmente atendem às interações via redes sociais. 

 

Os produtores de podcast, em sua grande maioria, não comunicam apenas no microfone, eles normalmente são multiplataforma, tal qual a demanda de seu público.

 

Video Ads

Além dos podcasts, os vídeos também estão em alta. Eles já representam 38% da publicidade brasileira no Brasil e o consumo deste tipo de conteúdo dobra anualmente desde 2016. A partir disso, é possível notar a força e o alcance do formato, sabendo que essa segue sendo uma tendência para 2020.

Em um estudo realizado pela Breadnbeyond, por exemplo, 95% dos entrevistados admitiram gostar de assistir vídeos explicativos e demonstrativos antes de adquirirem um produto. Junto disso, está o fato de que 95% de uma mensagem é retida quando é transmitida por vídeo.

O formato funciona, principalmente, por se encaixar nas quatro maiores redes sociais usadas no brasil (Facebook, Instagram, Twitter e Whatsapp), fazendo deste um conteúdo que transita entre milhões de usuários. O engajamento intrínseco a essa mídia também facilita com que a mensagem se espalhe.

 

Humanização do conteúdo

No RD Summit de 2019, um dos grandes focos dos painéis apresentados foi o fato de que o conteúdo deve ser humanizado, isto é, colocar o cliente como o fator principal da estratégia de comunicação. A proposta é seguir buscando entender o que o público julga como relevante e elaborar ações a partir disso. Ou seja, as entregas devem continuar totalmente alinhadas com as demandas.

Esta ideia pode ser aplicada a qualquer meio e forma de comunicação. Por exemplo, o e-mail marketing, que é uma forma de engajamento e interação com o público. Por meio dele, é possível conversar diretamente com o cliente, usando estratégias e ferramentas que apontam exatamente qual conteúdo desperta interesse de quem recebe.

A ideia de experiência é, também, parte deste conceito de humanização. O consumidor não quer mais receber um conteúdo avulso, ele deseja que ele seja relevante. Segundo pesquisa da Epsilon, 80% dos entrevistados preferem fazer negócios com empresas e marcas que saibam direcionar e customizar o conteúdo, em alguns casos até já esperam que esse seja o padrão.

Esta mesma pesquisa apontou, no entanto, que são poucos os que estão apostando no que chamam de hiper personalização. Aproximadamente 9% revelaram fazer, de verdade, esta abordagem. Já 62% declararam que ainda estão no processo de entender a diferença entre a hiper para a comum e como implementar essa linha de pensamento nas suas estratégias. 

Ou seja, já é possível identificar que há um movimento para maior customização do conteúdo, mas ainda não é exatamente como o público espera. Isso mostra que ainda há muito a percorrer, abrindo oportunidades para aqueles que já estão envolvidos com a produção de conteúdo estratégico e humanizado.

 

Veículo próprio

Acompanhando essas ideias de humanização, customização e de criar um discurso direto, surge o conceito de veículo próprio. É quando uma empresa ou marca sai das redes sociais como forma principal de comunicar com o público e passa a disseminar a mensagem por meio de plataformas que sejam de domínio próprio. Diminuindo, assim, a necessidade de ferramentas de terceiros que são impossíveis de prever a longevidade.

Em abril de 2019, o Datafolha divulgou uma pesquisa que apontava a diminuição do uso do Facebook no Brasil. Esse dado reforça a importância de ter um veículo de comunicação próprio para relacionar-se com o público. Além disso, essa maior autonomia se reflete não apenas na longevidade do meio, mas também na liberdade de formatos. Sendo assim, com uma forma proprietária, a marca pode customizar, ainda mais, a experiência de relacionamento. 

Estes e outros tópicos serão recorrentes no mercado para 2020. Por isso, devem aparecer com frequência aqui no blog da Doxxa. Nos acompanhe e fique por dentro de tudo o que acontecerá no universo do marketing digital no próximo ano.

 

Assinado por Gabriela Escobar, CEO da Doxxa

 

Leia também:

Podcast: não basta falar tem que pensar

Aumente o engajamento com estratégia de social vídeo 

Evite a dispersão do público com conteúdo inteligente 

Sobre o autor

GABRIELA ESCOBAR

Jornalista, com especializações em Produção Textual e Marketing Digital, tem 15 anos de experiência em conteúdo de marca. Fundadora da Doxxa, acredita que método é o único caminho para excelência.

Posts relacionados

Midias sociais desafios e oportunidades para empresas em 2020 270x202 30 janeiro 2020

Rede social: desafios e oportunidades em 2020

By REDAÇÃO DOXXA | 30 janeiro 2020

Saiba o que não pode faltar nas estratégias das marcas nas principais mídias sociais ...

Leia mais
5 regras do conteudo inteligente para Inbound Marketing 270x202 30 janeiro 2019

5 regras do conteúdo inteligente para Inbound Marketing

By | 30 janeiro 2019

Quando o seu desejo é atrair o interesse do público use o conteúdo inteligente, interessante e relevante nas suas estratégias de marketing digital. ...

Leia mais
A importancia do conteudo inteligente para converter leads 270x202 17 abril 2019

A importância do conteúdo inteligente para converter leads

By DUDA MIRALHA | 17 abril 2019

Depois de transformar os consumidores em leads, é chegada a hora de estar ainda mais atento para que este lead qualificado realmente vire um cliente. ...

Leia mais
Mensagem enviada com sucesso!