Blog

Conteudo inteligente tem que ser util

Conteúdo inteligente tem que ser útil

By GABRIELA ESCOBAR | 8 janeiro 2019

Desenvolver ações de marketing estratégicas depende muito do conteúdo que a sua equipe entrega. Hoje, não basta produzir materiais rasos, publicações sem contexto ou mensagens de autopromoção que não estão ali para resolver o problema dos consumidores. Para realizar entregas de valor aos clientes, o conteúdo tem que ser útil, ou seja, ele precisa ser inteligente.

 

Leia também: Marketing de conteúdo inteligente: prepara-se para 2019

 

Mas, então, conteúdo útil é sinônimo de conteúdo inteligente? Como já falamos em outro artigo publicado no blog – confira o post Conteúdo inteligente e conteúdo útil: qual a diferença? – existe diferença entre um e outro. Todo conteúdo inteligente deve ser útil, porém, nem todo conteúdo útil é inteligente. E mesmo que a produção inteligente esteja muito além da utilidade, continua sendo fundamental ter um propósito (ou seja, ser útil) para chamar a atenção do consumidor.

 

Um dos diferenciais do conteúdo inteligente é, justamente, ser útil

As pessoas estão sendo atingidas o tempo todo por uma quantidade inimaginável de informação, em diferentes canais e mídias sociais. São incontáveis as ofertas de “conteúdo de valor para você”. E, nesse cenário, é preciso se diferenciar.

Mas, como fazer isso meio a tantas possibilidades que o universo do marketing digital nos proporciona? Reconhecendo a importância da produção de conteúdo inteligente e sabendo que para ser inteligente, o conteúdo tem que ser útil também.

O conteúdo útil, conforme o conceito apresentado no livro Youtility, de Jay Baer, é aquele que, além de prestar um serviço e resolver algum problema do consumidor, tem como plano de fundo uma questão muito importante, chamada ‘propósito’. Isso acontece quando o seu conteúdo passa do estágio “superficial” e alcança outro nível, muito mais alto: agora, ele tem motivos verdadeiros para existir.

É isso mesmo: ficou para trás o tempo em que bastava ter uma ideia, escrever e simplesmente postar. Atualmente, o conteúdo precisa ter utilidade, e esse é um dos fatores que o torna muito inteligente. Antes de ser ativado nas mídias sociais, distribuído para a base  de leads e chegar aos consumidores certos, ele passa por muitos outros processos que definem a sua utilidade.

Existe todo um planejamento que fundamenta a produção da pauta. Essa é estruturada de forma muito estratégica, composta por conteúdos que precisam mais do que agradar, eles devem resolver problemas e, para isso, são pensados nos formatos que mais se enquadram ao perfil de consumo dos leads.

Depois, chega o momento pós-produção, o de colocar o material no ar. É a tarefa que sucede um material bem produzido – tão importante quanto a etapa de produção e criação. Por meio dela, é possível alcançar em cheio os consumidores e atraí-los para a sua marca. E são essas as etapas fundamentais que fazem parte do processo de construção de um conteúdo útil e, consequentemente, inteligente.

Sem elas, você pode até encantar os consumidores com publicações chamativas e procurar vender as suas ofertas enchendo a caixa de e-mails dos seus leads. Mas para realmente engaja-los, é necessário oferecer conteúdos bem pensados, produzidos por meio de muita pesquisa, com informações bem embasadas e muito completas. Além de saber exatamente o que eles procuram, quais são as suas dores e os problemas que desejam resolver.

O seu foco, portanto, deve estar no comportamento do consumidor. Para entregar o melhor do seu trabalho e oferecer aquilo que ele realmente deseja consumir, é preciso entender não apenas quem é o seu público-alvo, mas toda a sua jornada de consumo e, assim, se torna possível oferecer o que ele demanda, como ele gosta e nos locais em que prefere. Ou seja, o conteúdo verdadeiramente útil é aquele que tem valor e possui as qualidades de poder ser facilmente ser adaptado às mais diferentes plataformas e canais e conter elementos diversos, seguindo sempre o mesmo discurso.

 

Leia também: Conteúdo inteligente: 6 tendências para 2019

 

Vantagens do conteúdo útil + inteligente

A proposta do conteúdo útil, além de envolver temas de interesse do consumidor e abordar soluções para problemas, também é transformar a experiência dos consumidores. A vida de um conteúdo útil deve ser longa. Depois de resolver alguma dor do cliente, ele precisa servir como referência para o mesmo. A ideia é que esse conteúdo não se perca no mar de materiais produzidos diariamente por diferentes marcas, mas se torne marcante e seja lembrado por muito tempo.

Dessa forma, ele funciona como um conteúdo perene – uma das seis tendências do marketing para 2019 -, que diz respeito a construções realmente valiosas: ou seja, a produção de materiais sólidos, interessantes e atemporais. Esses acabam sendo muito úteis, pois não perdem a validade, servindo como um espelho, que carrega a imagem, o discurso e a voz da marca, gerando diversas vantagens para a empresa. Veja, a seguir, quais são elas:

 

1. Engajar os consumidores

O conteúdo útil tem como função não somente atrair mais consumidores para a base de leads, mas realmente engaja-los. Isso porque uma coisa é chamar a atenção e outra, totalmente diferente, é envolver clientes em potencial e torná-los consumidores fiéis a sua marca.

No livro Youtility, Baer afirma: “se você fechar uma venda, você conquista um cliente hoje. Mas, se ajudar alguém, você conquista um cliente pelo resto da vida”. Segundo ele, isso é utilidade, e é o que deve embasar a produção de conteúdo da sua empresa. Portanto, mais do que encantar alguém com um bom material e rapidamente cair no esquecimento, procure promover conteúdos úteis para satisfazer o desejo do consumidor e ainda transformá-lo em um seguidor da sua marca.

 

2. Tornar a marca referência

Quando um conteúdo é útil acaba servindo para engajar os consumidores e tornar a sua marca referência. Mas como isso acontece? A resposta é simples: um material quando bem pensado e planejado, produzido e distribuído, passa a ter relevância em tempo real e, toda vez que é acessado, não perde seu valor.

Dessa forma, a empresa acaba mostrando que tem domínio sobre todos aqueles assuntos e ofertas entregues e se destaca no mercado. Assim, o consumidor, que antes tinha alguma dúvida sobre a credibilidade da empresa, enxerga, rapidamente, que ela atua por meio de propósito e cria, naturalmente, uma empatia com a marca, que deve contar com esse apoiador para o resto da sua existência.

 

3. Qualificar a empresa no mercado

Mas o conteúdo útil não serve somente para atrair, engajar e chamar atenção ou tornar uma marca referência no seu segmento, ele também é reconhecido pela produção de materiais muito qualificados. Toda solução de marketing entregue com utilidade vai servir como insumo para a empresa garantir melhor posicionamento no mercado. O que queremos dizer com isso? Que o conteúdo também qualifica a empresa no mercado.

Por meio de conteúdos úteis e muito inteligentes, é possível construir uma empresa com um discurso forte, passando a mesma mensagem a cada interação com o público. E isso enriquece o propósito da empresa como um todo. A partir da produção de conteúdo qualificada, o valor da marca acaba sendo melhor compreendido por todos dentro da própria empresa e essa transformação chega aos consumidores, que sentem muito mais confiança em comprar dessa marca.

Portanto, a nossa dica aqui é: vá além das produções em massa e foque em conteúdos úteis e qualificados. Hoje, todos nós – independentemente do segmento – disputamos a mesma audiência e, no que se refere às marcas, não basta criar mais e mais publicações, é preciso ter uma verdadeira estratégia de marketing de conteúdo inteligente como guia, agindo por trás das suas ações e campanhas.

 

Sobre o autor

GABRIELA ESCOBAR

Jornalista, com especializações em Produção Textual e Marketing Digital, tem 15 anos de experiência em conteúdo de marca. Fundadora da Doxxa, acredita que método é o único caminho para excelência.

Mensagem enviada com sucesso!